Membros

A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC é uma instituição devidamente estatuida e instituida para defesa de todos os profissionais – “Especialistas” em “medicina tradicional” [TM] /”medicina alternativa ou complementar [CAM], conforme designação da WHO) em consonância com o novo paradigma do séc. XXI denominada de “Medicina Integrativa”.
A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC – “medicina tradicional” [TM] /”medicina alternativa ou complementar [CAM], conforme designação da WHO, reconhece que a defesa dos legítimos interesses dos especialistas da – “medicina tradicional” [TM] /”medicina alternativa ou complementar [CAM], conforme designação da WHO) em consonância com o novo paradigma do séc. XXI denominada de “Terapêuticas Integrativas/TNC”, pressupõe o exercício de uma Medicina Holística Humanizada que respeite o direito à Saúde de todos os cidadãos.

A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC tem “Estatutos”, Código Deontológico” e “Regulamento Interno”.

A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC cumprirá as seguintes finalidades essenciais:

  1. A Representação, o estudo, a formação contínua, a investigação e o aperfeiçoamento profissional dos seus associados.
  2. A defesa da ética, deontologia e qualificação profissional nas áreas da – “medicina tradicional” [TM] /”medicina alternativa ou complementar [CAM], conforme designação da WHO) em consonância com o novo paradigma do séc. XXI denominada de “Medicina Integrativa”, a fim de assegurar e fazer respeitar o direito dos utentes a uma medicina Holística qualificada.
  3. A representação junto das entidades oficiais competentes, nacionais e internacionais, dos profissionais especialistas da Medicina Integrativa nela inscritos.
  4. A colaboração activa com as entidades oficiais, nacionais ou estrangeiras, no controle ao “charlatanismo” e à “fraude”, assim como em “todas a situações que não dignifiquem a classe e desprotejam o utente/paciente”.
  5. A emissão de pareceres sobre todos os assuntos relacionados com o “ensino” e “formação profissional” e com o “exercício das actividades” ligadas à Medicina Integrativa.
  6. Velar pelo exalto “cumprimento da Lei, dos presentes estatutos e respectivos regulamentos.
  7. A emissão da “Cédula de Membro Especialista” e promoção da “qualificação profissional” de especialistas da – “medicina tradicional” [TM] /”medicina alternativa ou complementar [CAM], conforme designação da WHO) em consonância com o novo paradigma do séc. XXI denominada de “Medicina Integrativa” – através da concessão de “títulos de diferenciação” e pela participação ativa em “regularização e homologação do ensino” de Medicina Integrativa em Portugal.
  8. A promoção e organização de conferências, seminários, congressos e convenções, visando a “valorização profissional contínua” e a publicação de uma “revista” da C.E.T.I. que divulgue e informe dos eventos acima referidos, assim como de reprodução de artigos e estudos científicos credíveis e eventos efectuados no país ou estrangeiro relacionados com a Medicina Integrativa.

– A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC poderá “protocolar-se” com outras organizações nacionais e internacionais.
– A C.E.T.I. – Câmara dos Especialistas das Terapêuticas Integrativas/TNC pode e deve:

  1. Desenvolver “acções profundas e profícuas” junto dos Ministérios competentes ou de outras entidades governamentais, nacionais ou estrangeiras, com vista ao reconhecimento oficial.
  2. Criar e dinamizar departamentos, secções e estabelecer protocolos com organizações e instituições que dieta ou indirectamente possam interessar aos especialistas da Medicina Integrativa.

– É considerado Membro Efectivo, todo aquele que possui formação específica em Medicina Integrativa e competência para o exercício do ato de Medicina não convencional devidamente comprovado pelo C.E.T.I.

  • § 1 – Assim só poderão ser admitidos com estatuto de membro efectivo da C.E.T.I. os profissionais que se enquadrem no seguinte:
    a) – Profissionais licenciados em Medicina Integrativa, cujos diplomas sejam devidamente reconhecidos por declaração e/ou certificação das entidades oficiais dos países de origem, das Universidades, Institutos e Escolas que emitiram os respectivos diplomas e devidamente reconhecidos pela C.E.T.I..
    b) – Profissionais não licenciados em Medicina Integrativa, mas com formação adequada e competências adquiridas, após aprovação pela C.E.T.I. das suas capacidades teóricas, técnicas e profissionais.
  • § 2 – Os pedidos de admissão de membro efectivo far-se-á por “subscrição de proposta” dirigida à Direcção da C.E.T.I., donde conste além da assinatura, a identificação completa de membro. Esse pedido de admissão de membro efectivo deverá ser acompanhado dos seguintes documentos:
    – “Curriculum Vitae”;
    – “Certidões”, “diplomas” ou “provas de cursos” emitidos por entidades consideradas credíveis pela C.E.T.I.;
    – “Documentação comprovativa de concessão de equivalências técnicas, académicas e/ou científicas” emitidas por entidades nacionais ou estrangeiras, consideradas credíveis pelo Conselho Consultivo da C.E.T.I.
  • § 3 – A admissão só se torna efectiva depois da necessária homologação pela Direcção da C.E.T.I., reportando-se essa admissão ao dia e mês da recepção da proposta.

Para formular o pedido de adesão a “Membro Especialista“, Clique aqui e preencha o formulário e faça enviar.

Mostrar
Esconder